Isto não é uma mala (teatro)

Postado em 2 de março de 2014
Fragmentos_TiagoLima-4222

Foto: Tiago Lima

O solo “Isto não é uma mala”, de Paula Lice, estreou em 2010, como parte do espetáculo “Fragmentos de um só” do Núcleo VAGAPARA. A dramaturgia e direção do trabalho foram concebidas em parceria com Marcelo Sousa Brito e contaram com a colaboração do artista Saulo Moreira. O trabalho foi apresentado no FIAC – BA, em 2010, integrando as apresentações de “Fragmentos de um só”, no foyer do Teatro XVIII, e, de forma independente, no FILTE – BA, em 2011, através do Conexões Vidal, projeto do ator Fábio Vidal, no camarim do Teatro Gamboa Nova.

O trabalho parte da investigação de uma personagem em um espaço-casa e das múltiplas reverberações desse encontro. Pelo caminho da experimentação, do laboratório, do improviso e da repetição, um fragmento dessa mulher se esboça a cada dia de uma forma diferente. O interesse central da proposta é investigar maneiras diferentes de se relacionar com a espetacularidade, com a improvisação e com o público. Com poesia, esquizofrenia e boas doses de café com conhaque.

ISTO NÃO É UMA MALA: VERSÃO-JANTAR

Essa experimentação integrou o VAGAPARAÇÕES – Autonomia e Colaboração, projeto de manutenção do Núcleo VAGAPARA, subsidiado pelo Edital de Manutenção de Grupos da FUNCEB. Nessa ação performativa, a personagem se instala no ambiente criado para o solo e instaura uma atmosfera de intimidade com um pequeno público de cinco pessoas. Ao longo da experiência cênica, serve um jantar preparado por um artista convidado, que pode ou não estar presente durante o evento, e compartilha suas experiências, estimulando sua pequena audiência a conversar. A versão-jantar de “Isto não é uma mala” aconteceu em maio e junho de 2012, na Baluar7e – Casa de Arte e contou com a participação dos artistas-cozinheiros Alan Gonçalves, Lia Lordelo, Igor Epifânio e Kátia Najara. Juntos, celebramos o encontro com a plateia, experimentando outras formas de conexão através da comida e da cena-conversa.

ISTO NÃO É UMA MALA: VERSÃO- VISITA

Nessa versão-visita, o universo poético particular, sustentado pela personagem, interage com outra dimensão cênica estabelecida pela personagem Alice, de Rodolfo Lima, em seu solo “Requiém para um rapaz triste”. A estreia dessa versão aconteceu em junho de 2012, no Cine Teatro Solar da Boa Vista, através do projeto Literatura em Cena – Conexão SP/BA, do artista Rodolfo Lima.  A experiência continua sendo íntima, afetiva e à procura de estabelecer diferentes dinâmicas de conexão entre criação artística, improvisação e plateia.

ISTO NÃO É UMA MALA: VERSÃO-LIVRO

A versão-livro de “Isto não é uma mala” destaca textos escritos desde o processo criativo inicial, em 2010, por Paula Lice, Saulo Moreira e Marcelo Sousa Brito. As fotos de Nilson Rocha, produzidas durante a primeira temporada da versão-jantar, em 2012, e a Arte Gráfica de Vania Madeiros, alinhavam esta produção, que condensa outra maneira de pensar o encadeamento criativo processual do projeto. A literatura, referência sempre presente na criação do solo, costura agora, outro modo de existência do trabalho que, assim como a versão cênica, não dá conta dos esforços de pesquisa que há dois anos garante vida e caráter de processo a “Isto não é uma mala”, antes disso, recorta textualmente e fotografa, de maneira performativa, mais uma etapa criativa do mesmo.

E-book disponível em:

http://issuu.com/pequenasaladeideias

FICHA TÉCNICA DO SOLO

Atuação, Criação e Produção: Paula Lice

Dramaturgia e Direção: Marcelo Sousa Brito e Paula Lice

Colaboração Artística: Saulo Moreira

Figurino: Rino Carvalho e Paula Lice (Versão-jantar e Versão-visita)

Direção Musical: Jarbas Bittencourt

Trilha Sonora: Marcelo Sousa Brito e Paula Lice

Compartilhe: